FAQ'S

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES SOBRE RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL
O que é a responsabilidade empresarial?

A responsabilidade social empresarial (RSE) ou responsabilidade empresarial refere-se à forma como empresas e organizações lidam com os aspectos económicos, ambientais e sociais inerentes ao impacto das suas atividades e à sua cadeia de valor. O conceito é dinâmico e evolui de acordo com as práticas empresariais e as expectativas dos stakeholders.

A ISO 26000 determina que a responsabilidade social é a “responsabilidade de uma organização tendo em conta o impacto das suas decisões e atividades na sociedade e no meio ambiente, por meio de um comportamento transparente e ético que: (1) contribui para o desenvolvimento sustentável, incluindo a saúde e o bem-estar da sociedade (2) tem em conta as expectativas dos stakeholders (3) está em conformidade com a lei e de acordo com as normas internacionais e (4) é integrada em toda a organização e praticada nas relações internas e externas.

A Comissão Europeia define-a como “a responsabilidade das empresas tendo em conta os seus impactos na sociedade e inclui as práticas de emprego (direitos humanos, trabalho e formação, diversidade, igualdade de género, saúde e bem-estar dos trabalhadores), questões ambientais (biodiversidade, alterações climáticas, eficiência dos recursos e prevenção da poluição), e o combate à corrupção. São também parte da agenda da RSE, o envolvimento e o desenvolvimento comunitário, a integração de pessoas em situação de desvantagem e os interesses dos consumidores.”

Quais são as atividades comuns de RSE?

As atividades que uma empresa pode integrar no seu seio e junto dos seus stakeholders, incluem:

  • atividades com os colaboradores e iniciativas de saúde e segurança, direitos dos colaboradores e incentivo à formação;
  • atividades de envolvimento dos stakeholders, tais como mapeamento, consulta, elaboração de relatórios e comunicação;
  • 
iniciativas ambientais em matéria de proteção do meio ambiente, redução da poluição, gestão de resíduos, consumo de recursos e eficiência energética;
  • atividades comunitárias, como o investimento comunitário e voluntariado dos colaboradores;
  • declaração sobre a visão e os valores da empresa, como a declaração da missão, e políticas e procedimentos de RSE da empresa;
  • atividades de mercado, que têm em linha de conta a responsabilidade do(s) produto(s) e as relações com os clientes.
Quais são os benefícios da RSE?

A implementação de RSE poderá melhorar direta e indiretamente a competitividade global de uma empresa. As vantagens associadas à RSE
incluem:

  • O aumento da competitividade empresarial;
  • A criação de valor para os acionistas e um maior acesso ao capital;
  • A melhoria da reputação da marca;
  • A melhoria das políticas de recrutamento, gestão de talentos, retenção e desempenho, empowerment dos colaboradores, aumento e desenvolvimento de competências relacionadas com o trabalho, e sensibilização sobre o compromisso da empresa para a garantia das boas condições de trabalho;
  • A gestão de risco e iniciativas de redução de custos;
  • A melhoria da qualidade de produtos e serviços;
  • A melhoria da gestão da supply chain;
  • A melhoria da eficiência operacional;
  • O fortalecimento das relações com os stakeholders, enaltecendo o apoio da comunidade e a liderança responsável.
Quais são os custos financeiros associados a RSE?

Os custos financeiros associados à RSE variam de acordo com as atividades específicas que a empresa implementa e com o tipo de negócio que conduz. No entanto, evidências mostram que a implementação da RSE pode resultar em benefícios, diretos e indiretos, a longo prazo, que superam o investimento inicial da empresa. Além de melhorar o desempenho económico, social e ambiental, os programas de RSE podem consubstanciar-se em inúmeras vantagens competitivas no mercado. Uma estratégia eficiente e integrada no core business da empresa contribui para a rentabilização dos recursos.

Quais são os principais conceitos e palavras-chave da RSE?

A linguagem da RSE é dinâmica e está em constante evolução. Podemos encontrar termos como cidadania empresarial, responsabilidade empresarial e ética nos negócios, que expressam a mesma ideia. http://eu.wiley.com/WileyCDA/WileyTitle/productCd-0470723955.html

Quem são os stakeholders?

Os stakeholders são indivíduos ou grupos que, direta ou indiretamente, são influenciados pelo impacto das operações de uma empresa. Os stakeholders geralmente incluem:

  • colaboradores, media, consumidores, concorrentes, organizações não-governamentais, investidores, parceiros, comunidade e governo, entre outros.
É fácil integrar a RSE nas operações diárias de uma empresa?

As decisões sobre as atividades de responsabilidade social que uma empresa deve incorporar são determinadas caso a caso, negócio-a-negócio, dependendo de fatores como:

  • Tamanho;
  • Capacidade;
  • Produtos;
  • Posição na cadeia de abastecimento;
  • Localização;
  • Compromisso de gestão.

Independentemente do tamanho de uma empresa, a RSE deve ser integrada no core business, na visão, na missão e nas políticas operacionais que definem os valores, a cultura e a abordagem do negócio da empresa. Através da aplicação do framework PDCA (Plan, Do, Check, Act), uma empresa pode avaliar os seus desafios e oportunidades e como pretende influenciar positivamente os stakeholders e a sociedade. Se a empresa é uma PME, pode incluir iniciativas como:

  • reduzir o consumo de energia e água;
  • envolver os colaboradores nas decisões dos negócios que afetam o ambiente de trabalho;
  • comprar a fornecedores locais;
  • proporcionar  oportunidades de formação, como estágios para jovens e desempregados de longa duração.
Como deve uma empresa gerir a RSE?

A estratégia de RSE deve ajudar a desenvolver benefícios sustentáveis a longo prazo. É aconselhável haver um responsável pela sua gestão, e poderá ser um representante da administração, uma equipa de pessoas de diferentes departamentos, ou uma equipa de consultoria externa, dependendo do tamanho da empresa. O(a) representante deve ser responsável por coordenar todas as atividades de responsabilidade social e garantir o fluxo eficiente de informação em todos os departamentos, bem como a recolha de informação pertinente à RSE dentro da empresa.

Que tipo de programas de formação em RSE existem?

Existem muitas iniciativas que oferecem formação no âmbito da RSE. A formação também está disponível para ajudar a implementar padrões internacionais específicos, como o SA8000 ou o ISO 26000. Para mais informações contacte-nos.

As empresas precisam de contratar consultores para implementar a RSE?

Uma consultora como a CORE pode fornecer uma formação geral para o entendimento e implementação de um plano eficaz de RSE. Contribui igualmente para o desenvolvimento de soluções ad hoc que atendam às necessidades específicas da empresa, identificando as questões chave de RSE e contribuindo para o desenvolvimento de uma estratégia. A CORE pode também ajudar a pensar e a delinear um relatório de RSE documentando os compromissos e resultados das iniciativas da empresa.

Como pode ser medido o desempenho de RSE de uma empresa?

O desempenho de RSE pode ser medido tanto quantitativa como qualitativamente. O desempenho quantitativo é relativamente fácil de medir. A recolha qualitativa de desempenho, apesar de ser menos comum, começa a ser medida por cada vez mais empresas, incidindo em temas como o impacto social, a satisfação e bem-estar dos colaboradores, o envolvimento dos stakeholders e o impacto do negócio sobre a comunidade. A Global Reporting Initiative (GRI), uma diretriz internacional para relatórios de sustentabilidade, identifica um conjunto de medidas económicas, ambientais e sociais que devem ser utilizadas pelas empresas para informar sobre o seu  desempenho em RSE.

Como é que a empresa comunica com os seus stakeholders?

Após a implementação de uma estratégia de RSE, a sua monitorização e avaliação do impacto, assim como o cumprimento dos objectivos-chave, torna-se essencial para garantir o sucesso das políticas definidas. Quando uma empresa implementa com sucesso uma estratégia, a sua comunicação pode acontecer de várias formas. O site da empresa é um excelente ponto de partida. Informações sobre a estratégia de RSE e as atividades inerentes podem ser apresentadas numa secção dedicada à RSE no site da empresa ou num relatório anual de sustentabilidade, é uma ferramenta útil para comunicar e avaliar os progressos realizados numa base anual.

A RSE é certificável? Porque pode uma empresa estar interessada em aplicar normas voluntárias?

A demonstração de um forte compromisso com a responsabilidade social das empresas é um elemento cada vez mais relevante para o negócio. As empresas enfrentam a pressão de uma série de stakeholders para implementar ou melhorar os seus programas e estratégias de RSE. Um mecanismo eficaz para o conseguir é a implementação de normas voluntárias. As normas sociais voluntárias fornecem uma estrutura para garantir o sucesso da implementação empresarial da RSE. Embora não haja uma norma única, algumas atestam o desempenho de RSE de uma empresa e demonstram o seu compromisso. As normas incluem:

  • SA8000, que após certificação “fornece um relatório público de boas práticas para os consumidores, investidores e outras empresas destinando-se a ser um importante marco na melhoria das condições de trabalho”. http://www.sa-intl.org
  • ISO 14000, que é uma série de normas internacionais certificáveis ​​em gestão ambiental. http://www.iso.org
  • AA1000S, que é um conjunto de normas baseadas em princípios que fornecem a base para melhorar o desempenho da sustentabilidade das organizações. http://www.accountability.org
  • Forest Stewardship Council (FSC), que é um sistema de certificação que fornece uma definição de normas, reconhecidas internacionalmente de acreditação para empresas, organizações e comunidades interessadas ​​na utilização responsável das florestas. http://pt.fsc.org
O que é o ISO 26000?

O ISO 26000 é uma norma de gestão e liderança que fornece uma orientação sobre princípios e temas subjacentes à responsabilidade social. O Guia foi desenvolvido ao longo de um período de cinco anos por peritos e observadores de países membros da ISO bem como uma variedade de stakeholders, organizações não governamentais, do setor público e privado. O ISO 26000 não é um sistema de gestão e não é certificável, no entanto, foi projetado para todos os tipos de organizações, independentemente do tamanho ou da localização e é um documento de referência para empresas que procurem integrar a RSE. O ISO 26000 apresenta sete temas centrais de responsabilidade social:

  • Organizacional;
  • Direitos humanos;
  • Práticas dos colaboradores;
  • Ambiente;
  • Práticas operacionais justas;
  • Questões relacionadas com os consumidores;
  • Envolvimento e desenvolvimento comunitário.

Informações adicionais sobre a ISO 26000 estão disponíveis em http://www.iso.org/iso/catalogue_detail?csnumber=42546

Onde obter mais informações sobre a RSE?

Os seguintes sites são excelentes fontes de informação sobre RSE.

  • Global Compact da ONU http://www.unglobalcompact.org/Languages/portuguese/index.html. O Global Compact da ONU é uma iniciativa política estratégica para empresas empenhadas em alinhar as suas operações e estratégias com os princípios de direitos humanos, ambiente de trabalho e combate à corrupção. Pelo alinhamento ao Global Compact, as empresas, principais veículos de globalização, podem ajudar a garantir que mercados, comércio, tecnologia e finanças se desenvolvem de forma a beneficiar as economias e as sociedades de uma forma global.
  • Global Reporting Initiative http://www.globalreporting.org/Home. O Global Reporting Initiative (GRI) é uma organização sem fins lucrativos que promove a sustentabilidade económica, ambiental e social. O GRI fornece a todas as empresas e organizações uma estrutura abrangente de relatórios de sustentabilidade, que é amplamente utilizado.
Email Image

Subscreva a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista para receber as últimas notícias e atualizações.

You have Successfully Subscribed!

Share This